Persuasão, objetividade e justificação: as sutilezas do texto publicitário

Do atendimento ao entendimento
27 de abril de 2018
Qual a importância da venda consultiva?
18 de julho de 2018

#pergunteAoClube

Persuasão, objetividade e justificação: as sutilezas do texto publicitário

Persuasão, objetividade e justificação: as sutilezas do texto publicitário.


O texto publicitário precisa ser persuasivo.
O texto publicitário precisa ser objetivo.
O texto publicitário não pode deixar brechas.

Persuasão, objetividade e justificação: em cima destes três fundamentos, é possível construir uma narrativa, que tenha como objetivo a venda de um produto ou serviço. Nesta construção narrativa, podemos utilizar diferentes formatos, modelos, linguagens e abordagens, tanto no texto como no apelo visual. Mas o primordial é não deixar brechas que podem confundir o receptor.

O objetivo de um texto publicitário é vender algo. Mas não podemos simplesmente falar "compre meu produto". É preciso criar um argumento que coloque na cabeça do receptor que a decisão de compra parte dele, e que não existe influência direta do locutor nessa tomada de decisão. A persuasão é fundamental neste ponto do texto publicitário, pois é um artifício delicado, mas que se usado com maestria, gera resultados positivos.

Outro quesito importante é a objetividade: não se pode perder tempo dando voltas enormes (ainda que em alguns casos essas voltas sejam utilizadas por estilo narrativo). O que precisa ficar claro no texto é a USP (unique selling proposition/proposição única de venda). Não queremos que um cliente se confunda com qual decisão tomar. Se um texto diz "compre meu produto, vista minha marca e visite minha loja", o receptor acaba sobrecarregado de mensagens, paralisando-o na hora da decisão. Por isso, é importante trabalhar com apenas uma proposta: "compre meu produto".

Precisamos também instigar o consumidor a pensar no seu produto. Podemos ser provocativos, indagadores ou disruptivos, mas não podemos ser vagos. Deixar brechas em um texto publicitário é um perigo muito grande. Podemos perder o receptor no meio do caminho, a mensagem pode ficar vaga ou pode ser tirada do seu contexto original. Isto pode enfraquecer marcas e diminuir vendas. Para evitar estas situações, a assertividade é fundamental. Para isso, passamos por diversos processos: o briefing precisa ser claro, os objetivos precisam ser definidos com antecedência e o público-alvo deve ser estudado. Desta forma, reduzimos a chance das peças (textos argumentativos + símbolos visuais) causarem algum tipo de estranhamento. Porque sua comunicação deve transmitir clareza, segurança e entendimento.

Pedro
Pedro Quadros Silveira

Redator Publicitário

Os comentários estão encerrados.